BIODIGESTÃO DE DEJETOS DE SUÍNOS:

Um olhar aprofundado nos dejetos de suínos.

Produção de biogás.

A biodigestão de dejetos de suínos envolve a decomposição da matéria orgânica contida neles em um ambiente anaeróbico. Esse processo gera biogás, uma mistura de metano (CH4) e dióxido de carbono (CO2), que pode ser utilizado como fonte de energia renovável, tanto para a produção de eletricidade quanto para aquecimento.

Tipologia de instalações.

Existem diferentes tipos de instalações para a biodigestão de dejetos de suínos:

Digestores Contínuos: Funcionam de maneira constante, adicionando e retirando material regularmente.

Digestores por Batch: São carregados com uma quantidade determinada de material e deixam-se fermentar até que o processo finalize.

Digestores de Fluxo Ascendente: São verticais e permitem que o material se mova da base para a parte superior do digestor.

Digestão anaeróbia e aeróbia.

Digestão Anaeróbia: É a mais comum para a produção de biogás. Realiza-se na ausência de oxigênio e gera metano como principal produto gasoso.

Digestão Aeróbia: Realiza-se na presença de oxigênio. Não produz biogás, mas é eficaz na estabilização da matéria orgânica e na redução de patógenos.

Impacto ambiental.

A biodigestão tem múltiplas vantagens ambientais:

Redução de emissões: Ao capturar e utilizar o metano produzido, evita-se sua liberação na atmosfera, um gás com alto potencial de efeito estufa.

Manejo sustentável de resíduos: Minimiza a contaminação da água e do solo ao reduzir a carga orgânica dos dejetos de suínos.

Produção de biofertilizantes: O digestato resultante é um excelente fertilizante, rico em nutrientes.

BIODIGESTÃO DE DEJETOS DE SUÍNOS, SIM OU NÃO?

A biodigestão de dejetos de suínos não é apenas uma solução para um problema de gestão de resíduos; é uma oportunidade para transformar a pecuária em uma indústria mais sustentável e autossuficiente energeticamente. No entanto, sua implementação requer investimento inicial, conhecimento técnico e um manejo adequado. A chave está em avaliar os benefícios a longo prazo, tanto econômicos quanto ambientais, frente aos desafios iniciais. Em um mundo que busca fontes de energia limpas e uma gestão sustentável de recursos, a resposta parece inclinar-se para um “sim” à biodigestão de dejetos de suínos.

Como referência no mercado, podemos encontrar a PlanET Biogás: Pioneiros em Tecnologia de Biogás e sustentabilidade.

Desde seus primeiros passos em 1998, a PlanET Biogás emergiu como uma entidade líder no âmbito do biogás, dominando todos os aspectos tecnológicos deste campo. Sua reputação se baseia na interação otimizada de processos individuais, garantindo o sucesso econômico de cada planta.

Os pilares da PlanET residem em sua vasta experiência e competência em áreas como engenharia, processos de homologação, construção e serviços técnicos, sendo a escolha ótima para quem busca soluções integradas em biogás. Um claro testemunho de seu compromisso com a sustentabilidade e a inovação é sua nova sede em Gescher, inaugurada em 2021, com um investimento de aproximadamente 10 milhões de euros.

Esta infraestrutura não só reflete um design moderno e propício para a inovação, mas também é emblemática da filosofia da PlanET: um fornecimento energético baseado 100% em energias renováveis, incluindo geotermia, biometano e energia fotovoltaica. O Grupo PlanET Biogás se posiciona não apenas como um fornecedor, mas como um companheiro de viagem para seus clientes, acompanhando-os desde a fase conceitual até a execução, assegurando que cada detalhe se alinhe com a visão e necessidades do proprietário.